Como tirar a chupeta do meu filho?

Muitas crianças acabam ficando viciadas em chupeta e mantêm esse hábito até os 5 ou 6 anos, o que não é correto. O aceitável por pediatras é que o uso da chupeta aconteça somente na fase oral (até 2 anos), quando as crianças costumam levar tudo à boca. Quando ultrapassa esse limite, é importante intervenção dos pais para que o vício não cause prejuízos à criança, tais como:

  • Estudos científicos mostram que crianças que não desenvolveram o hábito de chupar chupeta têm 33% menos chances de ter algum tipo de infecção no ouvido. Além disso, o vício na chupeta atrapalha na mastigação, deglutição e respiração da criança. Pode, ainda, surgir deficiências de dicção, voz rouca e/ou anasalada.
  • A chupeta atrapalha no desenvolvimento da fala. O simples ato de sugar ou chupar o objeto atrapalha no desenvolvimento dos músculos da língua e dos lábios, pois a chupeta faz com que a boca (e seus componentes) fique em uma posição incorreta.
  • O modo como os sons são pronunciados podem ser alterados. Em alguns casos, surge o que é popularmente conhecido como “língua presa”, quando a língua entra no meio dos dentes na hora de pronunciar algumas palavras, principalmente com as consoantes “s” e “z”.
  • Chupetas afetam os dentes da criança, principalmente os dentes frontais superiores. Se a criança continuar com o hábito entre os 4 a 6 anos de idade, pode acarretar problemas como: deixar a arcada muito estreita ou muito aberta; favorecer a mordida cruzada; empurrar os incisos superiores para frente; prejudicar o formato do céu da boca (palato).
  • Altera a postura e tonicidade dos músculos da boca, ou seja, pode mudar sua estética. O lábio superior pode ficar encurtado e o inferior flácido e virado para fora.

DICA IMPORTANTE: A chupeta até os dois anos de idade pode ser bastante satisfatória, pois tranquiliza o bebê. Alguns estudos mostram que a chupeta, inclusive, evita a morte súbita. No entanto, não se deve oferecê-la antes do segundo mês, pois o bebê precisa se acostumar com o aleitamento, que vem em primeiro lugar.

Como fazer a criança abandonar a chupeta

Primeiramente, você precisa entender que quanto mais nova a criança for, mais fácil é para acabar com o hábito. Em muitos casos, a criança acaba diminuindo a vontade naturalmente, mas quando isso não acontece é primordial que os pais tenham paciência, pois não adianta querer tirar a força.

No primeiro momento, é normal que a criança tenha algumas reações, como: um pouco de ansiedade, insegurança e birra. Se seu filho é acostumado a dormir com a chupeta, durante a noite ele possivelmente acordará. São reações comuns, mas que no geral duram pouco.

Para você ajudar seu filho, separei algumas dicas importantes que vão facilitar e reduzir esse processo. Veja:

– Use um calendário para marcar os dias que seu filho ficou sem a chupeta; faça esse acompanhamento com a criança. Após uma semana sem chupeta, elogie e dê um prêmio especial. O apoio dos pais é muito importante.

– No caso das premiações, não dê doces, salgadinhos, nem nada do tipo. Prefira passeios, brincadeiras, brinquedos ou presentinhos simples.

– Restrinja a chupeta a momentos críticos do dia, como a hora de dormir, por exemplo. Agora, não ofereça a chupeta em hipótese alguma, só se ela pedir. Se a criança não está lembrando e não pediu, é sinal que o processo está dando certo.

– Toda criança pequena adora imitar os mais velhos. Por isso, reforce a ideia de que as crianças mais velhas e adultos não usam chupeta. O diálogo é primordial.

– Como a criança deve parar por conta própria (e não por pressão dos pais), você pode ajudar incentivando seu filho a dar todas as chupetas pra alguém, nem que seja um personagem imaginário. Assim como os pais criaram a “fada do dente”, você pode criar a “fada da chupeta”, que deixa um presentinho no lugar do bico.

– Caso seu filho só consiga dormir com a chupeta, crie uma nova rotina ou um novo hábito: ler uma história antes de dormir, ouvir uma música, etc.

– É comum sentir pena da criança, já que ela pode chorar no começo, como se tivesse perdido algo muito importante. No entanto, é importante manter o controle e incentivá-la a fazer outras coisas, distraindo-a.

– Troque a chupeta por copos com canudinho ou bico de plástico, que são conhecidos como copo de transição ou copo de treinamento. Eles são semelhantes à mamadeira e ajudam a criança a esquecer da chupeta.

– Caso a criança durma com a chupeta, tente retirar, com calma, quando ela pegar no sono. Você pode avisar que fará isso (e deixar a chupeta ao lado dela). Caso ela acorde e queira, a chupeta estará lá – e precisar estar.

– Não suma com a chupeta na esperança de que a criança vai se acostumar. É importante que a própria criança decida acabar com o hábito.

Se você quiser aprender mais sobre comportamento infantil, cadastre seu e-mail para receber materiais exclusivos. Se você tiver alguma dúvida pontual, comente usando o formulário abaixo e eu irei te responder assim que possível.

Sobre Antônio Carlos

Antônio Carlos Nantes de Oliveira é especialista em comportamento infantil.

Autor do livro “Manual da Mudança Comportamental Passiva” e fundador do site Eduque Seu Filho. Já ajudou centenas de pais e mães a superarem os desafios de se educar e criar seus filhos, em mais de 38 anos de atuação na área comportamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>