Filhos hiperativos e impulsivos

Seu filho não para quieto e a agitação começa na hora em que ele se levanta e só para na hora de dormir; até para comer é difícil. Ele não te respeita e costuma não prestar atenção no que você diz. Passa o dia correndo pela casa, derruba as coisas e adora fazer bagunça. Para piorar, tem problema em fazer amigos, pois sua inquietação incomoda os outros. Na escola, o rendimento escolar é baixo e a professora vive reclamando do seu comportamento. Muita atenção, pois essas são características de crianças que sofrem de Transtorno por déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), onde os principais sintomas são:

  • Atitudes superiores ao esperado para a idade da criança
  • Falta de atenção
  • Impulsividade

Estamos falando de uma doença de origem neurobiológica que atinge cerca de 5% da população infanto-juvenil, sendo 3 vezes mais frequentes em crianças do sexo masculino. É uma patologia crônica, altamente genética (75% de chances de herdar de pais ou mães), que também pode ser diagnosticada devido ao atraso do amadurecimento de algumas partes do cérebro, e que pode comprometer o desempenho profissional, familiar e afetivo na vida adulta.

No post de hoje você vai entender:

- Tipos de TDAH
- Características do TDAH na criança
- Qual o melhor tratamento para TDAH
- Dicas para os pais

Tipos de TDAH

Primeiramente, você precisa entender que existem três tipos de TDAH. São eles:

  • TDAH de hiperatividade culminar: quem apresenta sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade.
  • TDAH com predomínio de desatenção: existem poucos sintomas de hiperatividade, mas o predomínio é do quadro de desatenção.
  • TDAH com predomínio de hiperatividade: podem existir alguns sintomas de desatenção, mas o predomínio do quadro é de hiperatividade e impulsividade.

Características do TDAH na criança

  • Não consegue ficar muito tempo parado.
  • Baixa autoestima.
  • Falta de respeito com os colegas: quer ser sempre o primeiro a fazer tudo.
  • Aborrecimento frequente e incontrolável.
  • É muito impulsivo.
  • Não consegue se concentrar.
  • É desorganizado.
  • Falta de persistência.
  • Distrai-se com muita facilidade.
  • Finge que não está te ouvindo.

DICA IMPORTANTE: É necessário fazer um acompanhamento diário com a criança (em casa e em ambientes sociais) para saber se ela sofre desse problema. Uma criança pode ser inquieta em casa, mas se comportar bem na escola, com isso, muito provavelmente ela não terá TDAH. Neste caso, o que pode estar havendo é a falta de controle dos próprios pais, que não impõem limites na criança.

Qual o melhor tratamento para TDAH

Atualmente, os estudos sobre TDAH estão muito avançados, por isso o tratamento para essa anomalia no sistema nervoso está cada vez mais eficaz. É importante dizer que o quanto antes o tratamento é iniciado, mais chances tem desse problema não afetar a vida da criança na fase adulta.

O tratamento envolve o uso de medicação (psicoestimulante) específica para o sistema nervoso central. Nesse processo, é indispensável o acompanhamento dos pais e da escola para verificar o progresso da terapia. Além desse tratamento a base de remédios, um acompanhamento psicológico também é importante, principalmente por causa da mudança de comportamento da criança.

Com o tratamento, a criança vai:

  • Melhorar ou anular os sintomas de transtorno.
  • Diminuir ou eliminar os sintomas apresentados: desatenção, falta de paciência, etc.
  • Melhorar o desempenho escolar.
  • Melhorar a relação com os outros (social e familiar).

Dicas para os pais

Os pais desempenham papel fundamental para reverter esse quadro. A Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA) separou uma série de estratégias que podem ajudar os pais com filhos hiperativos e impulsivos. Veja:

  1. Ter sempre um tempo disponível para interagir com a criança.
  1. Incentivar as brincadeiras com jogos e regras, pois além de ajudar a desenvolver a atenção, permitem que a criança se organize por meio de regras e limites e aprenda a participar, ganhando, perdendo ou mesmo empatando.
  1. Quem tem TDAH pode descarregar sua “bateria” muito rapidamente. Se este for o caso, recarregue-a com mais frequência. Alguns portadores precisam de um simples cochilo durante o dia, outros de passear com o cachorro, outros de passar o fim de semana fora, outros ainda de ginástica ou futebol. Descubra como a “bateria” do seu filho é melhor recarregada.
  1. Evite ficar o tempo todo dentro de casa, principalmente nos fins de semana. Programe atividades diferentes, não fique sempre fazendo a mesma coisa. Leve todos ao clube, ao teatro, ao cinema, para andar no parque, enfim, seja criativo.
  1. Estabeleça cronogramas, incluindo os períodos para ‘’descanso’’, brincadeiras ou simplesmente horários livres para a criança fazer o que quiser.
  1. Nenhuma atividade que requeira concentração (estudo, deveres de casa) pode ser muito prolongada. Intercale coisas agradáveis com tarefas que demandam atenção prolongada.
  1. Procure sempre perguntar o que a criança quer, o que está achando das coisas. Não crie uma relação unidirecional. Obviamente, os pedidos devem ser negociados e atendidos na medida em que for possível.
  1. Use mural para afixar lembretes, listas de coisas a fazer, calendário de provas. Também coloque algumas regras que foram combinadas e promessas de prêmio quando for o caso.
  1. Aprender a controlar a própria impaciência
  1. Elogie! Não se esqueça de elogiar! O estímulo nunca é demais. A criança precisa ver que seus esforços em vencer a desatenção, controlar a ansiedade e manter o ‘’motorzinho de 220 volts’’ em baixas rotações está sendo reconhecido.

Se você quiser aprender mais sobre comportamento infantil, cadastre seu e-mail para receber materiais exclusivos. Se você tiver alguma dúvida pontual, comente usando o formulário abaixo e eu irei te responder assim que possível.

Sobre Antônio Carlos

Antônio Carlos Nantes de Oliveira é especialista em comportamento infantil.

Autor do livro “Manual da Mudança Comportamental Passiva” e fundador do site Eduque Seu Filho. Já ajudou centenas de pais e mães a superarem os desafios de se educar e criar seus filhos, em mais de 38 anos de atuação na área comportamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>